terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Narciso Arrependido



Narciso Arrependido


Pela imensidão vaguei...

e em cada olhar procurei

a imagem que de mim criei


Mas..., eu a todos rejeitei

pois nunca me reconhecia

quando no outro me via


Foi num lago que me encantei

quando da minha face me aproximei

e sobre mim mesmo me debrucei


Tão auto-suficiente me tornei

que em mim mesmo me afoguei

E ao acreditar no espelho eu errei.


A imagem refletida

estava invertida

Aquilo que eu amava

era o que me faltava


miKael


de q nos fala o mito narcisista

da vaidade do artista

ou da solidão do eremita?

4 comentários:

schadenfreude disse...

Meu caro,
Essa tua visão de Narciso é completamente perfeita, parece um retrato meu, exatamente o que aconteceu comigo, achei que eu tinha o que me bastava e me afastei daquilo que eu precisava,
Mas agora já era, ta lá no fundo das águas, mania besta essa tua de se enfiar dentro de si, ah, não sei se a palavra existe, mas é perfeita, gosto de palavras inexistentes que refletem exatamente o que deveriam as palavras que já existem e não servem para NADA.

Maldita essa língua nossa.
Essa coisa triste que anda vagando por meus poemas é a mesma que grudou em mim, uma verruga de coisas vazias, e quanto mais eu tento colocar coisas boas dentro dela mais vazia fica, o pior é que já vou estar eu com uma verruga em forma de corcunda dizendo: EIS AQUI UMA PESSOA QUE JA FOI MUITO FELIZ, TROCOU SUA ALEGRIA POR UMA CORCOVA E CAMINHA SOZINHA PISANDO EM PEDRAS EM UM JARDIM CEGO.
Estou com mania de solidão, abandonei tudo que eu tinha, e agora sou triste, perdi a droga da ponta da corda e não consigo voltar.
Liga não que o drama esta se tornando assinatura minha, kkkkkkkkkkk.
Apaixonei me pela dor de Narciso,
Alias, acho que é isso que te faz sumir.
Poxa...Falei tanto que nem sei sobre o que eu falei.
Ainda bem que a musica mudou, Lollipop, é meio gls, mas, Mika me deixa feliz.
Deixa-me sair daqui antes que eu acabe te levando mais para dentro de si.
Cuidado, é viciante viver dentro do próprio mundo, por mais doloroso que pareça ser, traz mais prazer do que o maior prazer imaginado.
Experiência própria.
SAI DAI, antes que seja tragado a tal ponto que não vai mais conseguir sair.
Que a solidão seja tua companheira, mas nunca tua mestra.
Leve a contigo para onde for, mas nunca deixe que ela o impeça de ir.

livia soares disse...

Querido,
essa sua reflexão poética sobre Narciso me deixou a pensar, a pensar muito...
mas o que mais ressalta agora é que estou com saudades de vc e das suas visitas (é engraçado sentir saudades de alguém que nunca vimos pessoalmente; acho fascinante esse mundo virtual onde a gente vê as pessoas por um ângulo inteiramente novo, e quem pode dizer que seja mais ou menos verdadeiro?).
Bem, a verdade é que lhe desejo um excelente ano de 2008, esteja vc só ou acompanhado (me parece que o melhor da vida se encontra na delicada pulsação entre esses dois momentos, entre o recolher-se e o abrir-se para o mundo... não sei, eu também ainda estou tentando entender). Mas o mais importante é estar vivo. Eu desejo que vc viva intensamente. E escreva, escreva sempre. E me visite, sempre que quiser. Vc é muito bem-vindo.
Um abraço.

O futuro do que fui,o passado do que serei disse...

sou obrigada a concordar com a schadenfreude,estou com mania de solidão no principio eu até gostava,mas me percebi não tão confortavél nela como costuma ser.
Desculpa a demora vir,mas estarei sempre por aqui.Das frases que vc gostou a que mais me deixou feliz foi a que diz trazer a memória aquilo que trás esperança.somos
inevitavelmente resultado do que pensamos.
=*

Ch disse...

Caro Mikael;
.
Aqui quem lhe fala é seu padrinho desnaturado, recém chegado de férias, onde o que mais fez foi filosofar. Eis a razão da minha súbita ausência.
.
Mas você me parece mais ausente, e já faz tanto tempo, não? Se muito bem me lembro, o senhor tinha prometido ficar por aqui...cuidado com a palmatória!
É ainda castigo exemplar, ouviu?
.
Ah ah ah...
.
Meu caro, gostei do poema onde você aborda o mito de narciso de uma forma bem particular. Talvez sua própria instrospecção poética tenha falado bem alto aqui, acredito. Também não posso negar que a melancolia é combustível valioso ao nosso aprendizado, muito embora deixe suas sequelas!
.
Bom...o certo é que os seus amigos aqui estão pedindo por mais. Sendo assim, espero - e torço - para que você retorne logo aos afazeres do blog. Faço parte do coro, naturalmente.
.
Um forte abraço do
Ch